quarta-feira, 1 de abril de 2009

O nosso auxílio está no nome do Senhor

Texto escrito e enviado pelo seminarista e amigo Jalmo Filho:


O nosso auxílio está no nome do Senhor (Sl 123, 8)

Para melhor compreender o ser humano, não devemos fazer uma falsa imagem de que tudo é perfeito e que o homem se baste a si mesmo, mas “colocar os pés no chão” e, conhecendo suas próprias limitações, cada indivíduo deve dar passos concretos rumo à perfeição. Neste mesmo espírito de quem se reconhece como limitado diz o salmista: “(...) como um sopro se acabam nossos anos. Nossa vida pode durar setenta anos, os mais fortes talvez cheguem a oitenta; a maior parte é ilusão e sofrimento porque passam depressa e também nós assim passamos.” (Sl 89, 9-10). As diversas fragilidades espirituais e físicas acompanham toda breve existência de uma pessoa, por mais rica ou pobre que seja. Como homens sempre estamos sujeitos a cair em pecados e desviar-nos do bom caminho, correndo o risco de não alcançarmos nossa finalidade que é a bem aventurança eterna.

Na história de Deus com o homem, não é a humanidade que se faz digna, seja por obras ou palavras, de serem considerados seus amigos, antes é Ele quem toma uma decisão pela humanidade, e essa opção funda-se no amor. Como diz João, “nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele quem nos amou e enviou seu Filho como vítima de expiação pelos nossos pecados” (1 Jo 4, 10). Assim, o Senhor vai se mostrando, se dando a conhecer. Ele não vem ao encontro do povo como quem pretende se satisfizer, mas vem como auxílio, como refúgio, como aquele que ama e pode nos ensinar a amar. Ao se manifestar ao ser humano Deus não quer fazer uma simples história ou conto, mas salvá-lo.

Contemplando tamanho amor que as escrituras dão testemunho, surge no coração a mesma pergunta que a do salmista: “Senhor o que é o homem para dele assim vos lembrardes e o tratardes com tanto carinho?” (Sl 8, 5) Porém nossa reação não deve ficar apenas no âmbito do espanto e da incompreensão, antes devemos mover o nosso coração para colocar Deus no centro de nossos pensamentos e ações. “Quem confia no Senhor é como o monte de Sião, nada o pode abalar, porque é firme para sempre”. (Sl 24, 1) Nós que buscamos responder com generosidade a esse amor, sejamos fieis, atentos e vigilantes para que nosso coração não se engane com falsos amores, pois o mundo possui muitas belezas e atrativos, porém nem um merece substituir o Pai.

contato do Jalmo: jalmo.filho@hotmail.com
contato do blog : vcrblogg@hotmail.com

Um comentário:

  1. Fernando Henrique4 de abril de 2009 06:30

    Para Jalmão...
    É isso ai irmão arrebentando né!!! Super abraço!!!

    ResponderExcluir